Recent posts

CASO HAJA ALGUM DANO ÀS PEÇAS, QUAL PROCEDIMENTO SEGUIR? EXISTE ALGUM TIPO DE SEGURO? QUEM SE TORNA RESPONSÁVEL POR ESSE IMPREVISTO?

“Isso também é muito relativo. O que ocorre, pelo nosso entendimento e acredito que por bom senso e respeito, é que as peças precisam ser devolvidas como foram recebidas, em perfeitas condições de uso para outro cliente. Mas quando acontece algum imprevisto, o contratante é responsável pela manutenção ou reposição da peça se necessário.”

A LISTAGEM DE TODO O MOBILIÁRIO CONTRATADO É CONFERIDA NA ENTREGA E NA RETIRADA? O QUE OCORRE SE HOUVER DIVERGÊNCIA DE INFORMAÇÕES?

“Sim, absolutamente. Por isso a importância de ter alguém da equipe do contratante no local com uma cópia do pedido para conferência conjunta. Especialmente na retirada, o ideal é que sempre tenha um responsável do contratante no local para a checagem.”

1 – Feche o contrato com antecedência, para conseguir peças que julguem ser as mais importantes para o projeto
2 – Tenha referências das empresas de locação contratadas, inclusive no que diz respeito a pontualidade e sucesso operacional
3 – Tire suas dúvidas indo até a empresa e conferindo de perto o que está contratando
4 – Tenha fotos de referência para mostrar seu sonho. Isso evita frustrações!
5 – Sempre respeite o projeto e as opiniões do decorador contratado

Os móveis para casamento têm mostrado personalidade. Provaram a que vieram e, ano a ano, se destacam no segmento não só como uma parte da decoração, mas sim como um elemento essencial dela. Prova disso são as empresas que respiram (e borbulham de) ideias versáteis, para poder atender a todos os projetos e também a quem os assina – sem discriminação em ambos os casos. Como resultado, surgem novidades, lançamentos e modismos cada vez mais inovadores (ou senão, pelo menos boas e belas releituras), prontas para figurarem o universo dos eventos falando por si só.

Com alguns cuidados específicos e tendo especial atenção nos elementos que você deve evitar para que seu casamento noturno seja um sucesso, é possível celebrar esse momento de maneira elegante e cheia de estilo, garantindo ainda mais felicidade e sucesso para o casal e boas lembranças para seus convidados!

Quando o assunto é decoração de eventos é interessante tratar de assuntos como: arranjos, iluminação, cores de lampadas, tolhas para a mesa que combinem com o restante do ambiente, em suma um tema incrivelmente amplo a ser explorado. Para fazer de sua festa algo inesquecível fale conosco, somos especializados em locação de móveis e decoração para eventos.

Coffee break é um termo em inglês que traduzido ao pé dá letra quer dizer “pausa para café”. É muito usado para se referir a uma pausa, durante a jornada de trabalho, com a finalidade de fazer um lanche e também para designar encontros empresariais.

Do ponto de vista empresarial, o significado de coffee break é um encontro social de rotina, no qual os funcionários fazem uma refeição rápida, normalmente um lanche e interagem. As empresas também podem usar o termo para se referirem a pausa durante uma reunião.

O coffee break supostamente se originou no final do século 19 na cidade norte americana de Stoughton, no estado de Wisconsin, com as esposas dos imigrantes noruegueses. Todo ano a cidade comemora a origem do termo com o Festival Stoughton Coffee break.

O significado do termo posteriormente, se tornou popular através de uma campanha publicitária de uma marca de café feita nos EUA em 1952, a qual dizia: “Dê a si mesmo um Coffee Break e tenha o que o café pode lhe dar”.

Nos EUA os coffee breaks geralmente duram de 10 a 20 minutos e frequentemente, ocorrem no final do primeiro terço do turno de trabalho. Em algumas empresas e alguns dos serviços públicos, a pausa para o café pode ser observada formalmente em uma hora definida.

Algumas empresas americanas, contratam um fornecedor que leva um carrinho, o qual dentre as variedades de seu cardápio, leva aos funcionários bebidas quentes e frias, bolos, pães e doces. É uma rotina diária e o fornecedor vai até a empresa na parte da manhã e da tarde com os coffee breaks.

Matéria retirada do site Significados 

 

O hábito de reunir amigos para uma comilança ao ar livre, com direito a guloseimas diversas e uma sesta logo em seguida vem de longe, sabia? Ele remonta às caçadas medievais que os nobres da França e da Inglaterra organizavam em suas cortes. A diversão acontecia da seguinte forma: durante a caçada, alguns animais, principalmente cervos, eram abatidos, limpos, cortados e preparados no próprio campo.
Na segunda metade do século 19, o piquenique se desligou das caçadas para virar moda. Foi nessa época que os ingleses resolveram introduzir nesse passeio o uso de talheres, louças e taças de champanhe, para que as refeições fossem tão civilizadas quanto as servidas dentro de casa. Ah, sim! Sabe o que esse pessoal comia? Presuntos, assados, tortas doces de vários sabores, lagosta com maionese caseira e ponche de uísque, entre outras delícias. Depois de encher bastante a barriga, muita gente ainda tinha energia para cantar ou tocar música para entreter os outros convidados. Alguns jogos também eram organizados depois da comilança. Ficou curioso com a origem da palavra piquenique? Pois os ingleses e os franceses disputam a sua origem. Para os ingleses, ela vem de picnic, festas em que cada convidado levava um prato. Já os franceses dizem que ela é a junção de duas palavras de seu idioma: piquer, que significa “beliscar” a comida, servir-se com as mãos; e nique, algo pequeno e de pouco valor. Na França existe até o verbo pique-niquer, algo como “piquenicar”.